rotulos

500 Cervejas Diferentes: Meta, Utopia, Exagero ou Insanidade?

Posted on Posted in Dicas KAR’s Beer

500 cervejas diferentes. O título pode parecer esquisito, sem sentido, até mesmo apelativo. Neste texto conto um pouco de minha vida cervejeira até aqui. Acredito que muitos irão se identificar, até mesmo fazer uma viagem pessoal relembrando uma série de momentos e experiências.

O brasileiro é um povo amistoso e festeiro por natureza, arruma qualquer motivo para juntar amigos e familiares para se divertir. Seja churrasco, feijoada, festas tradicionais ou aquele encontro após o trabalho, em especial na sexta-feira. Seja no sítio, beira da praia, balcão, mesa de bar ou até mesmo no caixote. Não importa o motivo, ocasião e temática uma coisa é fato: o que acaba lubrificando essas interações sociais é a cerveja, líquido abençoado por Santo Agostinho.

Esta tradição geralmente é herdada de pai para filho e comigo não foi diferente. Lembro-me de crescer com meus avôs e pai tomando uma cervejinha nas horas de lazer. A diferença é que na época, fim dos anos 80 e início dos 90, havia poucas marcas de cerveja conhecidas, como Antarctica, Brahma, Skol, Schincariol e Malt 90 (desenterrando!). Tinham as míticas e raras Original e Serramalte, que a gente ouvia falar, mas dificilmente via.

Ao chegar à maioridade começou a vida cervejeira seguindo esta mesma trajetória e aos poucos conhecendo. O único lugar que eu conhecia e sabia que vendia Original e Serramalte era uma pastelaria próxima ao cursinho Etapa da Ana Rosa que eu, Kocha, nosso amigo André e outros mais íamos após a aula. Em seguida vieram as importadas e difíceis de achar: Heineken, Stela Artois.

A primeira cerveja especial importada que tomei foi a Erdinger, sendo a porta de entrada para o mundo das cervejas de trigo. Em seguida veio a primeira Guinness e seu característico “soco no queixo” pelo estilo, aromas e sabores totalmente diferentes das cervejas que estamos acostumados.

Assim iniciou a busca por novas cervejas, apreciar suas diferenças e qualidades, conhecer os estilos, de preferência junto com amigos e compartilhar conversa e conhecimentos. Também a meta de sempre que possível experimentar ao menos uma cerveja nova (ou rótulo, se preferirem). Com isso, comecei a procurar lugares diferentes para achar cerveja, bares novos e até mesmo procurar cervejarias artesanais para onde viajo. Peguei também o costume de um amigo de colecionar uma tampinha de cada cerveja diferente que eu tomo.

Por esses tempos conheci um app de celular para cadastrar e avaliar cervejas, baixei para fuçar e fui marcando as que já tomei. Ao fim, me surpreendi ao ver que havia ultrapassado 500 cervejas diferentes. Meus primeiros pensamentos a respeito foram “MALAAAAANDROOO” e fazer um cálculo aproximado do quanto investi nesses últimos 4/5 anos ao menos em que me dediquei a esta aventura. Em seguida veio o sentimento de satisfação pelo investimento feito. Por fim, pude tirar algumas conclusões que compartilho com vocês.

  • A vida é muito curta para nos preocuparmos o tempo todo em economizar dinheiro. Não incentivo esbanjar dinheiro, mas sim destinar parte de nossa renda para lazer. Nossa rotina cada vez mais é estressante, cobra e massacra a nós. Então todo centavo gasto com lazer é importante e bem-vindo para nossa saúde (claro que com moderação).
  • Tomar esse número de cervejas diferentes não fez nem faz de mim alcoólatra ou portador de qualquer outro distúrbio. Faz de mim alguém que busca sempre novas experiências e gostos, apreciar o que a vida tem de bom a oferecer.
  • É muito interessante e divertido aprender sobre a história e sociedade do local de origem a partir da cerveja, entender o conceito da cerveja, de onde surgiu, o porquê das características, entre outras coisas.
  • O primeiro pensamento que sou indagado geralmente é: “Ah mas com esse dinheiro podia ter gasto em outras coisas ou tomado muito mais breja”. Se colocar na ponta do lápis enquanto você toma uma cerveja especial é o tempo que levaria para tomar duas ou três comerciais. É possível tomar umas cervejas bem bacanas a preço justo gastando não muito diferente do que gastaria naquela balada ou restaurante que costuma ir.
  • É muito prazeroso conversar sobre cerveja e tudo que a envolve, inclusive quando as pessoas te consultam sobre qual tipo e marca tomar, entre outras coisas. Afinal todo mundo que gosta de cerveja adora compartilhar essas coisas e incentivar as pessoas a entrar neste mundo.
  • É possível que você vá embora mais satisfeito e acorde mais inteiro do que nos outros lugares que costuma ir e tomar o que costuma tomar.
  • Não me tornei um apreciador de cerveja chato, até mesmo xiita, e não há a menor necessidade disso. Continuo tomando cervejas comerciais normalmente.
  • Eu poderia sim ter economizado o dinheiro que gastei com cerveja, como o que gastei com outras coisas. Porém escolhi gastar com bons momentos, experiências e amigos, coisas que dinheiro nenhum compra, que não me fariam tão feliz e outras coisas do tipo. Ainda, um dia chega a hora de nossa passagem para a terceira margem do rio, e nosso dinheiro ficará nesta margem.

Enfim pessoal… Espero que alguns se identifiquem, se inspirem e curtam este texto.

E que venham as mil cervejas diferentes e muito mais!

Saúde! Cheers! Prost! Auguri!

Por: André Luiz Assi – Karakú

The following two tabs change content below.
Médico veterinário, professor universitário e consultor técnico no setor de alimentos, roqueiro e apaixonado por cerveja. Em constante busca de novas experiências, boas risadas e cervejas. Gosta de ler, fissurado em Bernard Cornwell, carros, esportes, cinema e amigos. Curte um som desde Pink Floyd, Metallica, Green Day e Offspring, Sempre buscando respostas para os grandes mistérios do universo, como "Por que o Pato Donald sai de toalha do banho, mas não usa calças?"

2 thoughts on “500 Cervejas Diferentes: Meta, Utopia, Exagero ou Insanidade?

  1. Concordo plenamente com o texto.
    Além do que foi dito, é um grande prazer proporcionar a uma pessoa descobrir estes novos prazeres.
    Acrescento uma conclusão no meu caso:
    Tomo duas cervejas (geralmente 330 ml) por dia. Atingi as 500 no Untappd. Meus exames de glicemia estão 100%, apesar de ser diabético, nos dois últimos anos, quando adotei o hábito.

    1. Caro Miguel,

      Agradecemos sua visita e comentário! Realmente é um prazer enorme, até surpresa quando amigos nos procuram para indicações de cervejas e tudo o mais.
      Como disse, a cerveja ainda traz uma série de benefícios à saúde que começam a ser desvendados pela ciência. Então nos resta continuar a tomar!

      Saúde!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *